Dicas de Estudo

Como fazer fichamento em 6 passos

EAD PUC GOIÁS   |    | 15 min de leitura
Saiba mais
Saiba mais

  Tag: Dicas de Estudo

O fichamento é uma técnica de estudo individual. A prática costuma ser fundamental para estudos que exigem ampla consulta bibliográfica, com a leitura de livros, artigos, periódicos e outros documentos.

Apesar de ser mais frequente para documentos escritos, pode-se fazer fichamentos de conteúdos dos diferentes meios, como o sonoro, audiovisual e até mesmo fotográfico.

Desse modo, essa técnica de estudo pode ser aplicada para cursos e formações em todas as áreas do conhecimento. Por ser uma prática de estudo individual, não há um único modo de realizar um fichamento.

Aqui você vai aprender a fazer fichamentos que vão te ajudar a se sair bem nas disciplinas da universidade.

Confira:

O que é um fichamento?
Tipos de fichamento
Posso misturar mais de um tipo de fichamento em um único arquivo?
Passo a passo para fazer o fichamento perfeito

Baixe agora um modelo de currículo de estágio!

O que é um fichamento?

Como vimos, o fichamento é uma das técnicas de estudo. A técnica, difundida e aceita por profissionais de todas as áreas, costuma ser mais utilizada em estudos que exigem extensa consulta bibliográfica. 

Não há um padrão único de fichamento. As características irão variar de acordo com os objetivos e as necessidades de quem o realizou. 

Ainda assim, alguns hábitos e práticas são importantes para um fichamento bem feito e funcionam também como dicas para quem quer aprender a realizar um. 

Até porque os fichamentos não devem ser vistos como atividades para ganhar nota. Ainda que o professor não solicite um fichamento, realizá-lo é importante porque auxilia no entendimento da matéria e evita releituras do texto ou do livro. 

Em relação aos critérios técnicos, apesar de não haver uma formatação exclusiva, pode-se utilizar o padrão da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), já que os documentos escritos provavelmente deverão estar nesse formato quando forem solicitados.

A estrutura de um fichamento 

Considerando que, em relação à padronização, o fichamento pode seguir o modelo ABNT, ele deve ter as seguintes características: 

  • Fonte Arial ou Times News Roman; 
  • Tamanho 12; 
  • Espaçamento entre linhas de 1,5 cm e margens superior e esquerda com 3 cm e margens inferior e direita com 2 cm. 

Essas são características do padrão ABNT.

Porém, caso queira, você pode inserir outros elementos visuais que ajudem na identificação, sistematização e segmentação do conteúdo, como uso de negrito, itálico ou sublinhado em termos ou em palavras-chave. 

É possível também utilizar a marcação de texto com fundo colorido, caso queira segmentar os conteúdos. Por exemplo, um livro sobre história do jornalismo pode ser segmentado em: 

  • História do impresso - roxo; 
  • História do rádio - amarelo; 
  • História da TV - azul; 
  • História da internet - verde. 

Os destaques visuais auxiliam na identificação de informações específicas sem que haja a necessidade de realizar uma leitura integral do conteúdo fichado.

Tipos de fichamento 

Existem diferentes tipos de fichamento. A recomendação de cada um muda conforme os objetivos de quem o realiza. 

Veja, a seguir, 4 tipos de fichamentos: 

1. Fichamento de citação 

Esse fichamento consiste no ctrl+c e ctrl+v do conteúdo. Deve ser utilizado quando for planejado a reprodução integral do que foi dito ou escrito.  

Obrigatórias nos trabalhos acadêmicos, as citações exigem fichamentos desse tipo. 

Além do texto, é necessário informar também alguns dados, como a página em que a citação pode ser encontrada e as demais informações bibliográficas sobre a obra. 

De acordo com as regras da ABNT, as referências bibliográficas devem seguir os seguintes padrões: 

Para livros 

  • SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de publicação: Editora, ano de publicação. 

Para legislação 

  • BRASIL. Lei nº X.XXX, de XX de mês de ANO. Função da lei. Diário Oficial da União, Brasília, DF, v. XX, n. XX, data de publicação do diário onde a lei foi divulgada. Seção, páginas. 

Para artigos de revista e de jornal 

  • SOBRENOME, nome abreviado. Título do artigo. Título da Revista, (abreviado ou não) Local de Publicação, Número do Volume, Número do Fascículo, Páginas inicial-final, mês e ano. 

Para sites e artigos online 

  • SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se houver). Nome do site, ano. Disponível em: (link). Acesso em: (data). 

Para dissertações e teses 

  • SOBRENOME, nome. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou volumes. (Categoria e área de concentração) – Instituição, Local, ano da defesa. 

2. Fichamento textual ou de resumo 

Conhecida como citação indireta, esse tipo de fichamento consiste em expor, do próprio modo, as ideias centrais da obra referenciada.

Esse tipo de fichamento é comum quando o documento fichado é um livro, já que dada a extensão do material, realizar apenas citações indiretas pode ser inviável 

3. Fichamento bibliográfico 

O fichamento bibliográfico consiste em analisar e sistematizar a bibliografia do texto ou do livro fichados. Nesse caso, deve-se identificar quais foram os autores e as escolas de pensamento mais referenciadas na obra. 

O fichamento bibliográfico pode ser utilizado com dois intuitos: primeiro, expandir o repertório de leitura, já que um livro acaba sendo a chave de acesso a outro.

Quando se está começando o estudo sobre determinada área ou tema, devemos recorrer com frequência ao fichamento bibliográfico. 

Já o segundo intuito acaba sendo seguido por quem já possui um conhecimento sobre a área estudada: mapear e identificar, de antemão, os argumentos que serão utilizados e as perspectivas assumidas pelo autor. 

Desse modo, o fichamento bibliográfico funciona como um mapa mental do material fichado.

Como fazer fichamento em 6 passos

4. Fichamento de arquivos sonoros, fotográficos e audiovisuais 

Embora não seja tão comum, é possível realizar o fichamento de conteúdos que estão em outro formato, além do escrito.

No caso dos áudios e dos vídeos, é necessário fazer uma transcrição do que será analisado e citado. 

Áudios e vídeos devem ser referenciados dessa forma, segundo a ABNT: 

  • SOBRENOME, nome. Título: subtítulo. Local: Produtora, ano. Especificação do suporte em unidades físicas ou extensão do arquivo. Disponível em (link - quando houver). Acesso em: (data - quando houver). 
  • Título (Primeira palavra em CAIXA ALTA). Diretor/produtor. Local: Produtora, ano. Especificação do suporte em unidades físicas. 

No caso das fotografias, é preciso sistematizá-las de acordo com os objetivos da pesquisa para, então, realizar uma descrição do material fotográfico. A ficha da foto e a sua descrição funcionam como um fichamento. 

De acordo com a ABNT, uma fotografia deve ser referenciada da seguinte forma: 

  • ÚLTIMO NOME, Primeiro Nome do fotógrafo. Nome da fotografia. ano. X fotografia. largura x altura pixels. Disponível em: link. Acesso em: data de acesso.

Posso misturar mais de um tipo de fichamento em um único arquivo? 

Sim, pode. Lembre-se de que o fichamento é um material de estudo de consulta individual. Por isso, pode-se estabelecer regras e dinâmicas que atendam a sua necessidade. 

Em relação aos diferentes tipos de fichamentos em um único arquivo, além de ser possível, essa é uma prática frequente. 

Afinal, o fichamento de um livro de 600 páginas, por exemplo, dificilmente vai conter apenas citações diretas ou indiretas. Assim como a bibliografia, que deve ser analisada e fichada, independente do modelo de citação predominante no fichamento. 

No entanto, recomenda-se um arquivo de fichamento para cada material. Por exemplo, dez textos sobre um mesmo assunto devem resultar em 10 fichamentos diferentes, independentemente da extensão do texto e do fichamento.

Passo a passo para fazer o fichamento perfeito 

O fichamento perfeito é aquele que satisfaz a necessidade do estudante. Ainda assim, alguns hábitos e medidas simples auxiliam na realização de um bom fichamento.  

Veja, a seguir, seis passos de como fazer um fichamento perfeito.  

1. Faça uma leitura breve 

Faça uma leitura de todo o conteúdo. Desse modo, é possível identificar as ideias centrais, a tese, a antítese e a síntese do pensamento exposto. Também é possível identificar se há exemplos concretos e qual foi a conclusão do autor sobre o tema debatido. 

Aproveite essa leitura para fazer marcações em trechos que considerar importantes, que precisam estar presentes no fichamento. 

Em alguns casos, pode-se ter à mão um papel e uma caneta, ou um bloco de notas em um dispositivo digital, para anotar possíveis ideias e relações que venham à mente. 

2. Defina qual tipo de fichamento você vai usar 

Após a leitura e algumas anotações, defina qual será o tipo de fichamento utilizado.

Ao fazer a escolha, certifique-se de que ela está alinhada com os objetivos do fichamento com o tempo hábil disponível, caso exista algum prazo estabelecido. 

3. Papel ou notebook? Escolha o suporte 

A escolha do suporte deve levar em consideração não apenas a preferência e o hábito do estudante que vai realizar o fichamento, como também dos objetivos e até mesmo do contexto de produção do trabalho. 

Como assim? Se o trabalho for realizado com o intuito de enriquecer o repertório e de melhorar a compreensão do estudante sobre o tema escolhido, a seleção do suporte pode levar em consideração apenas a preferência pessoal. 

No entanto, se o trabalho for realizado com o intuito de ser compartilhado ou mesmo entregue, o notebook, com a versão digital do fichamento, é mais recomendado. 

Afinal, provavelmente o professor ou os demais destinatários irão receber o texto por e-mail, em formato Word ou PDF, para que possam fazer comentários e observações. 

4. Releia o texto com mais atenção 

Após a leitura, anotações e escolha do suporte, releia o texto. Dessa vez, anotando e destacando os trechos do fichamento.

No fichamento, além dos trechos destacados, podem haver comentários e observações.  

5. Faça quantos tópicos achar necessários 

Qual é a extensão ideal de um fichamento? Quantos tópicos ele deve falar? O que deve ser incluído? Bem, não existem respostas únicas para esses questionamentos. Porém, o fichamento deve conter quantos tópicos forem necessários. 

O importante é haver a identificação e a síntese da ideia central do autor, além dos argumentos complementares, que sustentam o ponto de vista defendido. Essas são recomendações sobre o conteúdo. 

Mas, em relação à extensão, não há um parâmetro nem um modelo, afinal, isso muda de acordo com a extensão do próprio material fichado: são 2 páginas ou 200? 

6. Inclua outras referências 

As ideias, os argumentos e os autores sempre têm relação com outras obras. Por isso, para consolidar o repertório adquirido, estabeleça referências externas com o conteúdo fichado. 

Quando certo ponto de vista ou argumento for defendido, que outros materiais e autores podem ser utilizados para corroborar ou rechaçar a ideia central?  

Incluir outras referências expande não apenas o repertório, como também ajuda a conectar ideias e pensamentos, o que faz parte dos objetivos de um fichamento.

📖 Achou este passo a passo de como fazer fichamento útil? Então você também pode se interessar: 

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT