Você valoriza um trabalho com propósito e sempre busca aprender algo novo?

Provavelmente você siga o modelo de carreira proteana na sua vida profissional.

A seguir, você vai conhecer as principais características desse tipo de carreira. Continue a leitura!

New call-to-action

O conceito de carreira proteana

Você já ouviu falar no deus grego Proteu?

Filho de Poseidon, o deus dos mares, Proteu tinha a capacidade de alterar a forma do seu corpo, assim como a água se moldava ao terreno. Também era atribuído à divindade o dom da premonição, o que o tornava presa de pessoas que desejam saber o futuro.

O mito inspirou o escritor e pesquisador Douglas T. Hall a criar o conceito de carreira proteana em 1976. O termo se refere às pessoas que veem a realização pessoal e a felicidade como sinônimos de sucesso profissional.

Por isso elas buscam oportunidades de trabalho mais flexíveis, que deem mais liberdade de ação e que estejam mais alinhadas a seus valores. Na carreira proteana, os profissionais estão mais preocupados com a autorrealização do que com salários, altos cargos e prestígio.

Outra característica determinante da carreira proteana é o autogerenciamento. Nesse modelo, a pessoa direciona os rumos da própria carreira e não as organizações. Ela é a protagonista no planejamento da vida profissional e sua execução, considerando suas aspirações e habilidades sociocomportamentais e técnicas.

Quem busca uma carreira proteana reúne qualidades como adaptabilidade, flexibilidade e resiliência, tendo em mente que precisará aprender algo novo com frequência para se reinventar.

A diferença entre a carreira proteana e a tradicional

É possível entender as diferenças entre os dois tipos de carreira se pensarmos no período histórico em que os conceitos foram desenvolvidos.

A carreira tradicional remonta ao século 20, seguindo uma lógica parecida com a de linha de produção: a pessoa fazia uma graduação, conseguia uma vaga em uma grande empresa e dedicava décadas da sua vida para ela, crescendo dentro da estrutura hierárquica proposta por essa organização.

A carreira proteana marca as mudanças no mundo do trabalho nas décadas de 1970 e 1980, com o início da informatização de processos. A popularização da internet e os avanços da inteligência artificial (IA) nos anos de 1990 em diante transformaram o mercado, que passou a exigir novas habilidades dos profissionais – afinal, parte do que eles faziam passou a ser executado por máquinas.

Partindo dessa contextualização, conseguimos perceber a principal diferença entre a carreira proteana e a tradicional: a dependência (ou não) em organizações para crescer profissionalmente.

Na tradicional, o profissional firma um compromisso com uma única empresa para crescer na carreira. Geralmente, ele dedica anos de trabalho para essa organização, subindo níveis hierárquicos em cargos de gestão ou de especialista.

As oportunidades de crescimento se restringem àquele espaço e à graduação escolhida na juventude. Para se desenvolver, o colaborador segue os programas e treinamentos estabelecidos pela empresa.

Já na perspectiva proteana o profissional passa por diferentes empresas ao longo da vida, visando à satisfação pessoal. Ele não vê problemas em trocar de empregos nem de profissão, desde que seus planos de carreira se realizem.

Se for necessário, a pessoa fará uma segunda graduação ou pós-graduação. Também tem proatividade para sugerir treinamentos e cursos à empresa em que trabalha no momento.

Outra diferença entre os dois modelos é a estabilidade. Quem segue uma carreira tradicional prioriza a segurança de um emprego estável, enquanto quem segue uma proteana está mais preocupado em trabalhar com algo alinhado a valores e princípios.

Como investir em uma carreira proteana

Por incrível que pareça, o primeiro passo você já deu. Sim, conhecer o conceito de carreira proteana!

Ele vai te ajudar a refletir sobre o que você espera para sua vida profissional e, assim, definir seus objetivos. O que você espera das atividades de um determinado cargo? Sente que o seu trabalho atual tem algum propósito? Quais atividades que executadas hoje que são mais prazerosas? E as que são desagradáveis?

Essas perguntas vão te ajudar a entender se você está no seu emprego dos sonhos e o que você precisa mudar para ter mais satisfação pessoal.

Outro passo importante é trabalhar a sua empregabilidade. Como em uma carreira proteana você provavelmente passará por diferentes empresas, é necessário aprimorar a sua capacidade de conquistar oportunidades de trabalho.

Isso significa prestar atenção nas demandas atuais do mercado de trabalho, manter-se atualizado e fortalecer o seu networking.

E, se for o caso, aventure-se em uma nova profissão. Lembre-se de que não há limite de idade para isso. Aqui no Blog do EAD PUC Goiás você confere 10 orientações para mudar de carreira.

Uma forma de mudar de carreira é fazer uma segunda graduação. O EAD PUC Goiás oferece bolsas de estudo para quem quer voltar para a universidade. Elas são válidas para os 25 cursos oferecidos –e você não precisa fazer vestibular para ingressar.

Dê um novo rumo para sua carreira com o EAD PUC Goiás!

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

Leia também:

Inscreva-se no nosso Blog

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se.

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT