Talvez você não saiba o que é um artigo de opinião, mas é bem provável que já tenha lido algum.

E, embora leve o nome de artigo, ele não é um texto como este que você está lendo - as suas características são diferentes.

Nas próximas linhas, você descobre o que é um artigo de opinião e aprende a fazer um seguindo um passo a passo bem simples.

Tudo pronto? Vamos lá!

O que é um artigo de opinião?

Quem costuma ler jornal, revistas ou portais, com certeza já se deparou com um artigo de opinião.

Isso porque esse gênero textual é habitualmente publicado nesses tipos de veículos.

Normalmente, os artigos de opinião expõem temas de interesse da sociedade.

Assim, é usual que sejam abordados fatos recentes, muitas vezes polêmicos, e de grande repercussão.

Quais são as características?

artigo de opinião quais sao caracteristicas

O artigo de opinião faz parte do grupo de textos argumentativos. Nele, o ponto de vista do autor sobre determinado assunto é evidenciado.

Para comprovar a tese defendida, devem ser usados dados, fatos e outros elementos.

É fundamental ainda que o artigo respeite às normas da língua portuguesa e utilize uma linguagem de fácil compreensão.

É permitido usar verbos na primeira pessoa do singular, mesmo que muitos autores optem pela terceira pessoa.

O artigo de opinião é, geralmente, curto, para se encaixar aos espaços pré-determinados dos canais de imprensa, e assinado.

Como é a estrutura de um artigo de opinião?

Agora que você já sabe o que é um artigo de opinião e conhece as características do gênero, podemos avançar e entrar em outra parte importante deste conteúdo: a estrutura do texto.

Introdução com tese

Em outros tipos textuais, como a redação dissertativa, por exemplo, a introdução é uma parte breve do conteúdo - de, em média, um parágrafo -, que introduz o tema do texto.

No artigo de opinião, embora a introdução também seja indicada para falar da tese, o número de linhas não é tão limitado.

Ou seja, a apresentação do ponto de vista pode ser mais extensa e detalhada.

Desenvolvimento com argumentação

A segunda parte, que representa os parágrafos secundários, é destinada ao desenvolvimento dos argumentos.

É o momento, portanto, de expor todos os recursos disponíveis para defender o seu ponto de vista.

Vale dizer que aqui também há espaço para contra-argumentar. Ou seja, se antecipar aos possíveis questionamentos de leitores com opiniões contrárias.

Conclusão

O artigo de opinião se encerra com uma conclusão.

Nela, o autor deve fazer uma síntese do que foi dito e reforçar a tese defendida.

Como começar o artigo de opinião?

Se você pretende redigir um artigo de opinião, deve saber que é necessário fazer uma pesquisa completa sobre o assunto em questão.

Afinal, não só a sua teoria precisa de base, como os leitores também querem entender as razões por trás da sua posição.

Em outras palavras, a sua abordagem não pode, de forma nenhuma, ser rasa.

Esse é o primeiro passo, portanto, para começar um artigo de opinião.

Como escrever um bom artigo de opinião?

Depois de fazer a sua investigação sobre o tema e listar os argumentos relevantes para a defesa da sua tese, é hora de colocar a mão na massa.

Quando for escrever um artigo de opinião, reflita a respeito do público que vai ler o conteúdo. 

Isso, certamente, ajudará a criar uma narrativa adequada.

Faça uma boa introdução, com clareza, para que o leitor possa compreender rapidamente sobre o que se trata o artigo.

O título não precisa entregar o assunto tão explicitamente, mas deve estar relacionado e ser criativo.

Se possível, apresente uma solução para o problema apresentado. Essa proposta pode servir como desfecho do artigo de opinião.

Passo a passo para construir um artigo de opinião

artigo de opinião passo a para construir-um

Agora, de um jeito mais prático, veja como construir o seu artigo de opinião em poucos passos.

Planejamento e projeto de texto

Primeiramente, faça uma reflexão sobre o seu texto.

Certifique-se do tema que será abordado, do seu ponto de vista e dos argumentos que têm na manga.

Em seguida, pense na organização dos parágrafos e defina o conteúdo de cada um deles.

Com esse guia, ficará mais fácil colocar as ideias no papel.

Rascunho

O rascunho é um projeto do artigo, que deve conter todas as informações que serão retratadas no texto.

Nele, é possível fazer edições na forma como o conteúdo é apresentado, mas não é indicado que haja grandes desvios na proposta inicial.

Revisão

Depois de pronto, é hora de revisar o artigo de opinião.

Aqui, além de procurar por erros de português, também é importante fazer uma avaliação minuciosa das ideias apresentadas, a fim de identificar falhas de lógica nos argumentos.

Dicas para escrever melhor

A essa altura, não restam dúvidas sobre como fazer um artigo de opinião, certo? 

No entanto, para redigir textos cada vez melhores, é possível adotar técnicas e práticas para aprimorar a habilidade da escrita. 

Tome nota de algumas dicas:

  • Leia bastante e diversifique os tipos de textos
  • Pesquise antes de escrever
  • Exercite a escrita em vários momentos do dia
  • Experimente ter um diário
  • Aprenda a usar corretamente a pontuação
  • Desabilite o corretor ortográfico
  • Revise seus textos um tempo depois de ter escrito
  • Procure ler o que escreveu em voz alta.

Exemplo de artigo de opinião

artigo de opinião exemplo

Você pode ler artigos de opinião de autores diversos em vários veículos de comunicação. 

Extraímos um trecho de um texto publicado por Cida Barbosa no jornal Correio Braziliense. Confira!

Um mal camuflado

Somente agora, já adulta, uma professora do interior da Bahia conseguiu superar o temor e revelar que sofreu abuso sexual na infância e na adolescência. Numa mensagem em vídeo, denunciou dois tios e um amigo da família. “Tenho 26 anos, e ainda dói bastante”, contou Flávia Santos. “Todos esses anos sofrendo calada, quieta. Até que minha irmã teve coragem e postou no grupo da família que foi molestada quando criança pelo mesmo tio que me molestou. Então, resolvi falar, denunciar.” Ela também registrou um boletim de ocorrência.

Na postagem, a professora alertou para “um mal inserido no nosso dia a dia, um mal silencioso, camuflado”. É o que apontam estatísticas: a maioria dos abusos ocorre no ambiente familiar, o que torna o crime ainda mais sórdido e difícil de ser combatido.

Dados do Disque 100 - canal de denúncias do governo federal - mostram que os predadores sexuais são, principalmente, pais e padrastos. Tios, irmãos, avôs e amigos da família também aparecem com frequência. Ou seja, a casa, onde deveriam estar em segurança, é o lugar onde crianças e adolescentes ficam mais à mercê de seus algozes. Os demais integrantes do núcleo familiar não percebem a atrocidade ou se calam para preservar sua “harmonia”.

As vítimas costumam aguentar tudo em silêncio porque o molestador é alguém da família ou conhecido, porque são ameaçadas, têm vergonha ou sentem-se culpadas. Muitas não relatam, também, por não compreenderem que estão sofrendo abusos. “Eu só vim entender que tinha sido violentada, molestada, estuprada, aos 18, 19 anos”, confirma Flávia, no vídeo.

Há outra face cruel dessa barbaridade. Quando crianças e adolescentes denunciam a violência são, comumente, desacreditados, inclusive, pela própria família. Foi o que aconteceu, agora, com Flávia, mesmo já adulta. A mãe questionou as acusações dela, e parte dos parentes a defenestrou. “Perguntaram como eu tinha coragem de fazer isso, se não pensava na dor deles. Acaba que não pensam no que aconteceu com a gente”, lamentou.

Vítimas de abusos podem não conseguir denunciar, mas emitem sinais: tornam-se agressivas, têm comportamentos sexuais, queda de rendimento escolar, depressão, insônia, falta de apetite. Pais ou responsáveis devem orientar as crianças. Explicar, por exemplo, quais são as partes do corpo que não podem ser tocadas por outras pessoas e questionar se alguém as tratam de forma desconfortável. Informadas, elas vão conseguir contar mais rápido se forem vitimadas. O diálogo ajuda a prevenir ou a descobrir violações.

Quem souber de abusos contra meninos ou meninas deve denunciar nos conselhos tutelares, em qualquer delegacia, por meio do Disque 100 ou do aplicativo Proteja Brasil. Flávia destacou a importância da iniciativa. “Esse meu tio está sob suspeita de ter molestado também a enteada (de 14 anos). Talvez, se eu tivesse falando antes, ele não teria feito isso com ela também. O melhor a se fazer, gente, é denunciar. Denuncie, denuncie. Vamos proteger nossas crianças.”

O artigo de opinião foi publicado originalmente no site do Correio Braziliense.

Conclusão

E, então, foi fácil entender o que é um artigo de opinião e aprender como fazer para escrever o seu?

Esperamos que sim.

Vale, agora, buscar outros exemplos para ler e se inspirar, não acha? 

Assim, você consegue assimilar melhor a estrutura e a forma como os argumentos são apresentados para defender a tese.

E, se você se interessou por este conteúdo, pode ser que encontre outros assuntos que também o agradem aqui no nosso blog.

São vários artigos sobre educação e carreira. Não deixe de conferir!

Mas, antes de ir, que tal deixar a sua opinião a respeito do que acabou de ler? Use o espaço logo abaixo para escrever o seu comentário.

New call-to-action

Inscreva-se no nosso Blog

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT